sexta-feira, 18 de maio de 2007

Importância do resgate histórico

“As fontes não são efêmeras; elas ficam e é função da
sociedade civilizada preservá-las, como testemunhos silenciosos
dos nossos esforços, das nossas lutas, da nossa paixão, da nossa
criação. Por isso, elas merecem, como os monumentos arquitetônicos,
um cuidado especial”.
José Honório Rodrigues


Iniciamos nosso trabalho com o objetivo crucial do resgate histórico da memória do rádio em Campo Grande, a partir de entrevistas com personagens ligados a essa realidade. Nossa pesquisa procura entender o que faz esses personagens serem tão lembrados pelos diferentes públicos e as razões que fazem com que seus programas durem tanto tempo. Para isso, foram consultados arquivos históricos sobre o tema, edições dos tradicionais programas “Entardecer no Sertão”, “Despertador Musical” e “A Hora do Fazendeiro”, além da coleta de verdadeiros documentos vivos, por meio dos relatos de profissionais ligados ao rádio e de representantes da audiência. Apesar da importância desse tipo de atividade, trata-se de uma iniciativa inédita em Mato Grosso do Sul, visto que este trabalho de conclusão do curso de Jornalismo tem como foco principal a memória daqueles que construíram essa história.

O ponto de partida foram os trabalhos acadêmicos anteriores relacionados ao assunto, além dos escassos registros encontrados nos arquivos públicos da Capital, como o MIS (Museu da Imagem e do Som) e a ARCA (Arquivo Histórico de Campo Grande). Depois partimos para as entrevistas pessoais. A coleta de dados foi desenvolvida entre novembro de 2005 e setembro de 2006.
Escolhemos fazer um radiodocumentário como meio de divulgação em razão de que esse gênero jornalístico pouco é explorado pela mídia radiofônica e permite o registro em áudio de importantes depoimentos concedidos por personalidades relevantes do campo da comunicação.

Nossa intenção foi resgatar esse formato e desenvolver um produto jornalístico de fácil manuseio. Devido à importância na disseminação das informações contidas neste trabalho, faz-se necessário atingir um grande público - desde pessoas que têm interesse pelo assunto a acadêmicos, pesquisadores e formadores de opinião.


Em qual gênero você se enquadra, caro internauta?

Um comentário:

Jeder Jair disse...

Na década de 90,o rádio já tinha perdido espaço para a televisão, mais despertador musical e a hora do fazendeiro são dois programas que deixaram uma vazio na cultura de Campo Grande, e também na minha vida!
😭😭